Todos os artigos de claudia

COSTUMA DIZER: NÃO CONSIGO POUPAR DINHEIRO?

Fiquei muito feliz quando este lançamento da Matéria Prima chegar à minha casa. Dei tantos pulinhos. Para quem não sabe “a  missão do Doutor Finanças consiste em ajudá-lo a equilibrar o seu orçamento familiar.

Após um check-up financeiro, identificamos sintomas de “doença financeira” e apresentamos soluções para ajustar o seu orçamento familiar.” Podem ler mais no site www.doutorfinancas.pt e até subscrever para receber mais informações sobre técnicas de poupança e investimento. 

Eu tinha uma doença financeira, com muita dedicação e persistência consegui ultrapassar e aprender muito sobre a minha relação com o dinheiro. Sabem aquela pessoa que devora todos os textos com a palavra poupança? Sou eu! Sabem aquela pessoa que pensava ser incapaz de poupar e afinal até consegue? Sou eu! E este livro ainda me trouxe mais dicas para além de relatos de histórias reais com resoluções alcançáveis. 

Recomendo este livro para quem usa muita a seguinte frase: “não consigo poupar” ou “não sobra dinheiro no final do mês, é impossível poupar alguma coisa!”. Os autores do Doutor Finanças são especializados na área. Já trataram inúmeros casos. Conseguem os melhores créditos, as melhores formas de poupança e renegociar taxas com entidades bancarias ou credoras. E dão dicas valiosas para a vida

A linguagem é super acessível e de fácil compreensão. Acrescentou informação apesar de já conhecer algumas das técnicas de poupança sugeridas. Se calhar a maioria sabe poupar mas tem dificuldade na area dos investimentos. Ou não sabe como começar. Agora não há desculpas para não começar a poupar alguns euros e aprender a gerir o seu dinheiro.

Logicamente que este livro não irá transformar a sua vida de um dia para a noite mas vai ajudar muito. Primeiramente é importante criar hábitos saudáveis e ter força de vontade. Acho que a partir daí tudo se consegue. 

Já guardei comigo para a vida alguns conselhos do Doutor Finanças. Abri a minha primeira conta poupança aforro, entre outros detalhes importantes que fizeram a diferença. Também me inscrevi num curso sobre Orçamento Familiar e Poupança gratuito do Doutor Finanças e não vejo a hora de começar. Podes inscrever-te também: https://www.doutorfinancas.pt/mini-cursos-gratuitos-de-financas-pessoais/

Essencial para quem quer aprender a poupar e investir. 

TAREFA DIÁRIA PARA ORGANIZAR OS DIAS

Acordar cedo é importante para preparar o meu dia. Gosto de ter um momento só para mim, antes de todos acordarem. Isto começou a ficar mais sério quando decidi acordar às 6 da manhã durante trinta dias, incentivada pelo livro Manhãs Milagrosas. Se há livro que tenha mudado a minha vida, este foi o livro. Mudou bastante a minha forma de olhar para mim e para os meus dias. Para além disso, desconstruiu  aquela ideia que era impossível acordar cedo e estar bem.

O meu momento preferido do dia é quando tomo o pequeno almoço e bebo o meu café. Quem me segue no Instagram sabe que eu gosto de fazer stories com o meu café, que nunca falte o café! Depois da higiene pessoal e do pequeno almoço, o que eu faço em primeiro lugar melhora os meus dias. E organiza-os. Qual é a primeira tarefa do dia? Abro a agenda e defino três tarefas  diárias.

Primeira tarefa do dia, definir três tarefas. Tarefas essas que modificam ao longo da semana. Pode ser algo pessoal ou profissional, não faço distinção. Na mesa da sala, enquanto ligo o portátil, abro a minha agenda e escrevo as três tarefas principais daquele dia. Gosto da espontaneidade, apesar de gostar de planear os meus dias. Ao longo do dia o meu foco são essas tarefas e só termino o dia quando as concretizo.

Coisas a ter em conta para esta tarefa:

  • Não coloco nada impossível de concretizar
  • Se tiver uma tarefa muito difícil, equilibro com duas simples
  • Tenho em conta sempre o meu planeamento semanal

O meu Bullet Journal é o meu melhor amigo. E faz parte da minha rotina diária. Este ano optei por uma agenda para a vida pessoal e um Bullet Journal para a vida profissional. Gosto de ter tudo bem separado e organizado.

Qual é a tua primeira tarefa diária?

PLANEAMENTO SEMANAL E MENSAL

Para uma organização mais simples e eficaz eu considero necessário fazer o planeamento regularmente. Ou seja, tenho os objetivos anuais ligados aos objetivos mensais e semanais. O que isso quer dizer? Todos os meses (no dia 1 de cada mês) olho para os meus objetivos anuais e crio o meu planeamento mensal com cerca de quatro/cinco tarefas. Todos os domingos olho para os objetivos mensais e crio as tarefas semanais. São cerca de três tarefas por dia com um dia livre.

Na prática

No dia 1 de cada mês, no Bullet Journal abro uma página com o calendário do mês e agrego logo as tarefas regulares aos dias da semana. Por exemplo: já sei que vou ter consulta no dia X, tenho de fazer pagamentos ao dia Y e uma reunião ao dia C. Os outros dias são preenchidos com as restantes tarefas durante o planeamento semanal ao domingo. Quando faço o planeamento mensal crio logo as tarefas que pretendo alcançar. Todas as manhãs olho para agenda, crio as três tarefas diárias (caso não tenha o dia preenchido com eventos/consultas) e executo por ordem de dificuldade ou prioridade.

Inicio do ano – criação de objetivos por categoria Pessoal, Financeiro, Familiar, Profissional e Blog/Instagram

Dia 1 de cada mês – planeamento mensal (3/4 objetivos por categoria)

Domigos – planeamento semanal (3 tarefas por dia com 1 dia livre)

Manhãs – planeamento diário (3 tarefas por dia)

COMO ORGANIZAR A PAPELADA

Decidi organizar muito bem a documentação cá de casa. Quero a papelada bem arquivada, separada por pastas. Somos muitos, não funciona se estiver um papel aqui e outro acolá. Inevitavelmente acabava por acontecer ao longo dos meses. E sempre que precisava de algum papel perdia mais de meia hora à procura, ou precisava de ir tirar cópia pela milésima vez.

Fui contactada pela JBNet, um site com produtos vários, com 20 anos no mercado, que se disponibilizou para enviar-me uma etiquetadora. Sempre quis ter uma! A empresa tem desde brinquedos, livros, material de escritório, cosmética, doces,… As compras podem ser feitas online, ou no Cash&Carry na Vila do Conde. Enviam para todo o país, com portes grátis. Só vantagens!

Nunca tinha mexido numa máquina destas, mas é super intuitiva e prática. Adorei, dá vontade de fazer etiquetas para tudo (frascos, cadernos,…). Encomendei duas pastas com separadores, em cada separador coloquei uma etiqueta com os nomes de cada membro da família e separei a papelada. Agora sim.

Na outra pasta separei por: casa; luz; infantário; banco. A maioria das faturas são digitais, arquivo tudo nas pastas do e-mail dedicadas às faturas. Não imprimo nada, mas gosto de ter alguns documentos em papel porque são sempre precisos para alguma coisa (comprovativo de morada, inscrições,segurança social, etc.).

Agora sim, tenho a papelada cá de casa organizada. Há que simplificar, é tempo que posso poupar.

BULLET JOURNAL | Registo Mensal e Registo Diário | parte II

Depois do Índice e do  Registo Futuro, vem o Registo Mensal. Numa página em branco damos inicio ao mês, colocando os dias do mês na diagonal. Na página seguinte, colocamos os objectivos relativos ao mês iniciado. Eu coloquei a lista de livros que pretendo ler e dos textos que pretendo escrever no blog. Deixei um cantinho para as notas.

Depois do Registo Mensal, é preciso começar o Registo Diário. Será o espaço para colocarmos o planeamento diário, ou as tarefas agendadas. Normalmente eu crio o Registo Diário para uma semana, de forma a planear a semana completa. O Registo Diário é só iniciar com o dia, como mostro na foto.

IMG_20181206_173840_194.jpg

No final, é necessário registar o Registo Mensal, ou seja, o nome do mês, no Índice. O registo diário não vai para o Índice, porque basta sabermos quando começa o mês para não ficarmos perdidos.

BULLET JOURNAL: Como começar

Depois de ler O Método Bullet Journal, do autor e criador Ryder Carroll, comprei o meu novo caderno Leuchtturm 1917 para começar o ano de 2019. Quero seguir o método o mais próximo possível da ideia do criador. Quando postei foto do livro no Instagram (@amaorganizacao.pt)algumas pessoas mostraram curiosidade.

Desta forma, decidi iniciar o meu bujo (Bullet Journal para os amigos) juntamente com os seguidores. Fiz algumas stories/histórias com os primeiros passos, mas quero deixar registado no blog para toda a gente conseguir acompanhar.

O primeiro passo é criar o índice e enumerar as páginas. O índice é importante para ninguém se perder ao longo do ano, é onde colocamos todas as coleções e listas. O índice pode ter as páginas 1-4. O Bullet Journal começa verdadeiramente na página 5. No caso do meu caderno, o índice está criado.

Deixei a primeira folha depois do índice em branco para fazer uma decoração alusiva ao ano de 2019. Logo depois fiz o Registo Futuro. É a melhor forma de visualizar o ano inteiro separado por meses. Aproveitei logo para registar os aniversários e as férias. Para fazer o Registo Futuro é só criar algumas linhas e colocar três meses por página. Depois basta registar no Índice com as páginas correspondentes.

Por hoje chega, vamos aos poucos. Não percas o próximo texto sobre o Bullet Journal, com o próximo passo: Registo Mensal e Registo Diário.

O MÉTODO BULLET JOURNAL DE RYDER CARROLL

Comprar livro

Data de lançamento: Novembro 2018

Editora: Lua de Papel

Uso Bullet Journal há cerca de quatro anos. Comecei depois de ter sido mãe pela primeira vez e apaixonei-me pelo método. O que mais gostei foi a flexibilidade de ter uma agenda e diário num só caderno. Para além de me dar hipótese de criar tudo o que me fizesse falta com o decorrer dos meses. A agenda tem um padrão, não dá a mesma liberdade criativa de um Bullet Journal.

Comecei por ver vários vídeos sobre o assunto e a copiar algumas ideias. Mas o método não está ligado ao que vemos atualmente. Os Bullet Journal que vemos por aí são coloridos, cheios de imagens e as pessoas caem no erro de pensar que é só para quem tem sabe desenhar ou fazer letras bonitas. Não é. O livro O Método Bullet Journal, escrito pelo criador do método mostra que ninguém precisa de ser artista para começar um Bullet Journal. Basta um caderno qualquer e uma caneta.

Uma das coisas que mais me impressionou foi como nasceu a ideia do Bujo ( nome que se dá ao Bullet Journal). Ryder Carroll foi diagnosticado com Distúrbio do Défice de Atenção na escola primária, nos anos 80. Nasceu da sua necessidade de lidar com as suas dificuldades em concentrar e organizar.

“Através de tentativas e muitos erros, criei gradualmente, no meu velho caderno de apontamentos, um sistema que funcionava. O caderno tornou-se numa mistura de agenda, diário, caderno de apontamentos, listas de tarefas e livro de desenhos. Transformou-se numa ferramenta prática, mas piedosa, de organizar a minha mente impaciente.”

O método tem uma forma muito especifica de funcionar. É super adaptável às necessidades de cada um. E ajuda a focar no presente. O tempo que dedicamos a criar o Bujo é tempo que gastamos a suprir as nossas necessidades, a parar para refletir sobre os nossos objetivos e metas. Para além disso, se tivermos um Bullet Journal por ano, acabamos por ter a nossa vida toda documentada. Para quem tem um blog, e trabalha com criação de conteúdo, é uma ferramenta muito útil.

O livro explica passo a passo como começar um Bullet Journal. Mostra como podemos alcançar os nossos objetivos através do método, como planear uma viagem, como criar coleções e listas. Também explica os símbolos usados, a forma correta de fazer o registo diário, o planeamento anual, entre outras vertentes. Tem ilustrações como exemplos, nada fica por explicar. No final do livro, existe um cantinho dedicado à comunidade e responde às perguntas mais frequentes.

Foi uma leitura super informativa e enriquecedora. Aprendi com detalhe a usar melhor o meu Bullet Journal. Entretanto, aproveitei uma promoção na Fnac e comprei o meu novo caderno para 2019. Vou ter uma agenda para a vida pessoal (consultas, reuniões, etc…) e um Bujo para a criação de conteúdo (projetos, ideias, listas,…). Pretendo trazer mais conteúdo para o blog sobre o assunto. Sei que muita gente gosta! Quero partilhar convosco como vou começar o meu Bujo de 2019, partilhar as listas e coleções. Vou seguir ao máximo as dicas deste livro. Seguramente um livro para consultar muitas vezes.

Este livro é ideal para quem quer começar um Bullet Journal ou para quem adora o método e quer aprofundar mais sobre o assunto. Super recomendo.