Arquivo da Categoria: Poupança

DESAFIO | UM ANO SEM COMPRAR ROUPA

O desafio Um Ano Sem Comprar Roupa não é original, várias pessoas já o fizeram ao longo dos anos. Começou com a Jojo no seu blog Um Ano Sem Zara. Eu, inclusive, já estive um ano sem comprar roupa há cerca de três anos atrás. Chegou a hora de repetir.

Ao longo dos meses em que estive de baixa com gravidez de risco e licença de maternidade, acabei por renovar o meu guarda roupa. Não me identificava mais com a roupa que eu tinha, nem com a energia desta. Aproveitei várias promoções e descontos. Acabei por fazer várias limpezas ao meu guarda roupa e doar as peças que não usei um única vez nos últimos vezes.

O desafio Um Ano sem Comprar Roupa consiste em estar um ano sem comprar roupa e acessórios (malas, brincos, lenços, sapatos) e dar uso a todas as peças que temos no armário.

Os objetivos são vários: poupar dinheiro, dar uso à roupa com criatividade e combater o consumismo referente ao maior negócio do planeta: negócio das lojas fast fashion com mão de obra com condições precárias. Recomendo que assistas ao documentário True Cost.

Para te juntares, basta fazeres o compromisso para o cumprimento das regras. Se tiveres alguma rede social podes partilhar a tua participação e experiência com as hashtags #desafioamaorganizacao e #umanosemcomprarroupa.

Estarei a partir do dia 1 de Agosto a desafiar-me para estar um ano sem comprar roupa. Como várias pessoas ficaram interessadas no desafio quando partilhei a minha experiência no podcast (podes ouvir aqui), acho interessante lançar o desafio aos seguidores do amaorganizacao.pt. Queres alinhar?

Critérios do desafio

  • Só podemos substituir uma peça se esta ficar estragada ao longo do ano
  • Podemos comprar uma peça por mês ou optar por colocar o valor da peça num mealheiro para verificarmos o valor poupado no final desta jornada. A segunda hipótese é a prioridade deste desafio. Quanto iremos poupar ao fim de um ano?
  • Podemos pedir emprestado ou trocar peças de roupa com amigos e familiares
  • As roupas dos miúdos não está incluído, mas também podemos evitar ao máximo as compras desnecessárias e aproveitar todas as promoções
  • O desafio termina no dia 31 de Julho de 2020

Sugestões

  • Deves começar por fazer uma limpeza ao teu guarda roupa
  • Fica longe de lojas online e lojas físicas. Não abras e-mails com promoções
  • Procura fazer vários conjuntos e usar de forma divertida as peças que mais gostas. Sem medos de conjugar padrões e tecidos.

Um Ano Sem Comprar Roupa é um desafio para quem anda a encher o guarda roupa, tem peças com etiqueta há várias semanas, sapatos usados uma vez. Vamos juntas! Está quase a começar!

Será um ano intenso, verdade? E eu estou pronta para abraçar este desafio e partilhar tudo convosco. Pretendo gravar um vídeo sobre este tema e dar feedback regularmente quanto ao ponto da situação nas minhas redes sociais.

COMO POUPEI MAIS DE 2000 MIL EUROS?

Antes de avançar, esta é a minha experiência pessoal, de acordo com a minha realidade. O objetivo deste texto é tentar dar algumas dicas de poupança que utilizei ao longo do ano. Nunca será ofender ou vangloriar-me. Até porque “toda a gente” sabe que eu era uma pessoa com muitos problemas financeiros e sempre tive coragem de admitir isso. Note-se, o verbo “ser” está no passado.

Tive algum receio em publicar este texto, mas está na altura de fazer os devidos balanços dos objetivos. Acho que está na hora de refletir e perceber como é que eu consegui chegar onde queria.  Para não me esquecer e manter!

Consegui mudar num ano. Como? É exatamente isso que pretendo partilhar. Repito, é a minha experiência, obviamente que a realidade das outras famílias é diferente da minha. Também podem ler os textos que escrevi ao longo deste ano para ver algumas situações.

Ao contrário dos que possam pensar não precisam de ficar sem vida social para poupar alguns euros. O melhor deste exercício de poupança é ver as mudanças ganharem frutos e ficar com vontade de poupar cada vez mais. Mudamos por dentro. O meu estilo ligado ao minimalismo também está bem implementado na minha mente e não sinto nenhuma espécie de tristeza por não adquirir “coisas”. Pelo contrário.

Não tenho um ordenado enorme, somos quatro em casa e tenho as despesas comuns da maioria (casa, carro, água, luz, alimentação, seguro, gasóleo, infantário).

Vamos à lista:

– Muita força de vontade

Para mudar foi preciso muita força de vontade. Eu queria realmente mudar e transformar as minhas finanças. Sobretudo a minha relação com o dinheiro. E isso é o primeiro passo. Sério. Deixar a típica frase: “não consigo poupar”. Mesmo para os mais céticos, não há volta a dar, a força de vontade é tudo.  Mas não chega, claro.

Organização

Experimentei vários métodos de organização. Comigo só funcionaram os mais simples. Faço o registo diário das despesas no meu Bullet Journal. Consegui ver onde gastava mais dinheiro e comecei a fazer mudanças nos meus gastos. Foi perfeito. Agora é um hábito diário.

– Parei de fazer compras

Pois, não há milagres. Uma coisa aqui, uma coisa acolá são sempre euros que saem. A roupa e os acessórios de moda deixaram de fazer parte dos meus gastos. Os livros preencheram uma percentagem mínima dos meus gastos. Antes faziam parte de uma percentagem muito grande. Nada de comprar tecnologia a crédito ou ir a correr investir num novo portátil porque estraguei outro. As compras são feitas só em promoções. E de forma coerente. Também deixei de ir tanto aos centros comerciais ou tirar um dia para fazer compras.

– Abri uma conta poupança

Foi um pequeno grande passo para poupar. Comecei a colocar uma pequena parte na conta no inicio de cada mês e o dinheiro que sobrava no final também. A tendência no passado era gastar o dinheiro que tinha sobrado. Um erro. A conta engordou aos poucos desta forma.

Férias sem luxos

Este ano optámos por fazer férias mais contidas. Foi uma escolha em família de forma a usufruir de outras coisas como restaurantes e passeios. É possível viver com o mínimo e estar bem. É possível ter as condições básicas, estar feliz com um dia de praia e conhecer lugares bonitos em Portugal. O luxo é uma questão relativa. Para mim estar de férias com a minha família já é um luxo, sobretudo se estivermos com saúde. Não sou exigente. Também fui a Paris e consegui com pouco fazer o que queria. Fiquei na casa de uma tia o que facilitou imenso as despesas, o lugar era muito bonito e a casa dela um pequeno luxo. Viajei muito de comboio e metro no centro de Paris.

Pagar dentro dos prazos

Uma mudança significativamente foi o pagamento das faturas dentro dos prazos. Pagava sempre juros por causa de um dia de diferença. Também pagava imensos juros do cartão de crédito até ao dia em que paguei o cartão de crédito na totalidade e acabei com essa despesa. Acabei com o cartão de crédito dos supermercados também. Falta-me o crédito do carro que pretendo pagar antes do prazo. Veremos como corre o próximo ano.

Vendi

Na verdade, só vendi o meu Kobo, mas de grão a grão… É uma opção para quem quer ver entrar alguns euros e ficar com menos tralha em casa.

Procurar soluções

O caso das finanças que eu contei este ano é um exemplo. Antigamente pagava e não ia atrás de reclamar seja o que for. Mas temos de ir atrás, perguntar, poupar todos os euros possíveis. Ver os juros, colocar todas opções em cima da mesa e escolher a mais conveniente.

– Marmitas

Gastar o mínimo fora de casa compensa imenso. Desde lanches, cafés, tudo o que der para poupar eu sou fã.  Mesmo na escola evito ao máximo, prefiro comer em casa.

Seguro de saúde

Para despesas de saúde utilizei sempre o seguro de saúde.

Uma só viagem

Imaginem que pegava no carro para ir até Lisboa. Tentava conciliar tudo o que precisava para esse dia de forma a não gastar mais em portagens e gasóleo.

-Fiz muitos programas em casa, em família

Jantares com amigos fica mais em conta feitos em casa. Ou lanches. Também não me importo nada de ficar em casa a ler, a fazer desenhos com os miúdos e ir à biblioteca ou ao jardim dos arredores.

Li e pesquisei muito

Verdade, li alguns livros e vários artigos na internet sobre o assunto. Foram fulcrais para as minhas escolhas. Todos os links partilhados no grupo de poupança ajudaram-me muito.

Por favor, larguem a ideia que não conseguem poupar e organizem-se. É importante alterar certos hábitos enraizados e mudar a postura. Mesmo que seja pouco, sempre é alguma coisa. Eu era assim, sempre achei impossível construir uma poupança ou sentir esta segurança financeira. No entanto, acho possível melhorar e pretendo poupar mais no próximo ano. Pretendo ser melhor na arte da poupança e tudo farei para continuar a cumprir estes tópicos.

COSTUMA DIZER: NÃO CONSIGO POUPAR DINHEIRO?

Fiquei muito feliz quando este lançamento da Matéria Prima chegar à minha casa. Dei tantos pulinhos. Para quem não sabe “a  missão do Doutor Finanças consiste em ajudá-lo a equilibrar o seu orçamento familiar.

Após um check-up financeiro, identificamos sintomas de “doença financeira” e apresentamos soluções para ajustar o seu orçamento familiar.” Podem ler mais no site www.doutorfinancas.pt e até subscrever para receber mais informações sobre técnicas de poupança e investimento. 

Eu tinha uma doença financeira, com muita dedicação e persistência consegui ultrapassar e aprender muito sobre a minha relação com o dinheiro. Sabem aquela pessoa que devora todos os textos com a palavra poupança? Sou eu! Sabem aquela pessoa que pensava ser incapaz de poupar e afinal até consegue? Sou eu! E este livro ainda me trouxe mais dicas para além de relatos de histórias reais com resoluções alcançáveis. 

Recomendo este livro para quem usa muita a seguinte frase: “não consigo poupar” ou “não sobra dinheiro no final do mês, é impossível poupar alguma coisa!”. Os autores do Doutor Finanças são especializados na área. Já trataram inúmeros casos. Conseguem os melhores créditos, as melhores formas de poupança e renegociar taxas com entidades bancarias ou credoras. E dão dicas valiosas para a vida

A linguagem é super acessível e de fácil compreensão. Acrescentou informação apesar de já conhecer algumas das técnicas de poupança sugeridas. Se calhar a maioria sabe poupar mas tem dificuldade na area dos investimentos. Ou não sabe como começar. Agora não há desculpas para não começar a poupar alguns euros e aprender a gerir o seu dinheiro.

Logicamente que este livro não irá transformar a sua vida de um dia para a noite mas vai ajudar muito. Primeiramente é importante criar hábitos saudáveis e ter força de vontade. Acho que a partir daí tudo se consegue. 

Já guardei comigo para a vida alguns conselhos do Doutor Finanças. Abri a minha primeira conta poupança aforro, entre outros detalhes importantes que fizeram a diferença. Também me inscrevi num curso sobre Orçamento Familiar e Poupança gratuito do Doutor Finanças e não vejo a hora de começar. Podes inscrever-te também: https://www.doutorfinancas.pt/mini-cursos-gratuitos-de-financas-pessoais/

Essencial para quem quer aprender a poupar e investir.